Museu do Amanhã – Rio De Janeiro Picture

Museu do Amanhã

O Museu do Amanhã é um museu construído no município do Rio de Janeiro, no Brasil. O prédio, projeto do arquiteto espanhol Santiago Calatrava, foi erguido ao lado da Praça Mauá, na zona portuária (mais precisamente no Píer Mauá). Sua construção teve o apoio da Fundação Roberto Marinho e teve o custo total de cerca de 230 milhões de reais. O edifício foi inaugurado em 17 de dezembro de 2015 recebeu cerca de 25 mil visitantes em seu primeiro final de semana de funcionamento.
O antigo píer desativado passou a abrigar uma construção pós-moderna, orgânica e sustentável que, atualmente, é um ícone da identidade local e cultural da cidade do Rio de Janeiro. A proposta da instituição é ser um museu de artes e ciências, além de contar com mostras que alertam sobre os perigos das mudanças climáticas, da degradação ambiental e do colapso social. O edifício conta com espinhas solares que se movem ao longo da claraboia, projetadas para adaptar-se às mudanças das condições ambientais. A exposição principal é majoritariamente digital e foca em ideias ao invés de objetos.[1] O museu tem parcerias com importantes universidades brasileiras e instituições científicas globais e coleta de dados em tempo real sobre o clima e a população de agências espaciais e das Nações Unidas. A instituição também tem consultores de várias áreas, como astronautas, cientistas sociais e climatologistas.
Como uma das âncoras do projeto de revitalização urbana chamado Porto Maravilha, o museu recebeu, em 2015, como doação antes de sua inauguração, a escultura Puffed Star II, do renomado artista norte-americano Frank Stella. O trabalho consiste de uma estrela de vinte pontas e seis metros de diâmetro que foi instalado no espelho d’água do museu, em frente à Baía de Guanabara. A escultura metálica, antes da doação para acervo permanente a céu aberto do museu, esteve em exposição na cidade de Nova York.
Um dos objetivos da construção do museu foi fortalecer a identidade cultural e internacional da cidade do Rio de Janeiro. A cidade do Cristo Redentorsempre foi muito conhecida pelas suas praias e eventos, como o carnaval, mas havia a necessidade do fortalecimento da paradiplomacia cultural. Outras cidades, como Londres e Paris, também são muito conhecidas por seus acervos culturais.[4] O Museu foi apresentado como um ícone da reurbanização da zona portuária.

Texto: pt.wikipedia.org/wiki/Museu_do_Amanh%C3%A3

The Museum of Tomorrow (Portuguese: Museu do Amanhã) is a science museum in the city of Rio de Janeiro, Brazil. It was designed by Spanish neofuturistic architect Santiago Calatrava, and built next to the waterfront at Pier Maua. Its construction was supported by the Roberto Marinho Foundation and cost approximately 230 million reais. The building was opened on December 17, 2015.
The main exhibition takes visitors through five main areas: Cosmos, Earth, Anthropocene, Tomorrow and Us via a number of experiments and experiences. This intricate yet captivating museum mixes science with an innovative design to focus on sustainable cities and an ecological world.
The museum is part of the city’s port area renewal for the 2016 Summer Olympics.

Text: en.wikipedia.org/wiki/Museum_of_Tomorrow

El Museo del Mañana es un museo de ciencias situado en la ciudad de Río de Janeiro, Brasil. Fue diseñado por el arquitecto español Santiago Calatrava y construido junto al mar en el Muelle Maua. Su construcción fue financiada por la Fundación Roberto Marinho y costó aproximadamente 230 millones de reales. El edificio fue inaugurado el 17 de diciembre de 2015.
La exposición principal lleva a los visitantes a través de cinco zonas principales: Cosmos, Tierra, Antropoceno, Mañana y Ahora mediante varios experimentos y experiencias. El museo mezcla la ciencia con un diseño innovador para centrarse en ciudades sostenibles.

Financiado por el ayuntamiento de Río con el apoyo de patrocinadores, el edificio intenta establecer nuevos estándares de sostenibilidad en la ciudad. Comparado con edificios convencionales, sus diseñadores dicen que usa un 40% menos de energía (incluido el 9% de la energía que consume que obtiene del sol), y el sistema de refrigeración aprovecha el agua profunda de la cercana Bahía de Guanabara. La estructura parece destinada a ser una de las atracciones turísticas más importantes de Río. Sus «espinas solares» y el lucernario con forma de ventilador han sido diseñados de manera que el edificio se pueda adaptar a las cambiantes condiciones ambientales.

El museo tiene asociaciones con las principales universidades de Brasil y muchas instituciones científicas internacionales y obtiene datos en tiempo real sobre clima y población de agencias espaciales y de las Naciones Unidas. También ha contratado a consultores de varios de campos relacionados, incluidos astronautas, expertos en ciencias sociales y meteorólogos. Se sitúa junto al mar en una zona portuaria que estuvo abandonada durante décadas y actualmente está siendo renovada con nuevos edificios de oficinas, apartamentos y restaurantes. El museo forma parte del proyecto de renovación de la zona portuaria de la ciudad para las Olimpiadas de 2016.

Text: es.wikipedia.org/wiki/Museu_do_Amanh%C3%A3

Image published by Rodrigo Soldon 2 on 2018-05-21 16:42:21 and used under Creative Commons license.

Tagged: , Museu , do , Amanhã , Rio , de , Janeiro , Brasil , Brazil , Praça , Mauá , zona , portuária , Píer Mauá , Museum , Tomorrow , Museo , del , Mañana , Музей , 美術館 , Musée , 박물관 , 博物館 , Prédio , Edifício , Gebäude , Building , Edificio , Bâtiment , Opstal , 建物 , Landschap , Paysage , Landschaft , Τοπίο , Paesaggio , Paisagem , Ландшафт , Paisaje , 景色 , landscapes , Place , panorama , vista , ভূদৃশ্য , 景觀 , परिदृश्य , пейзаж , landscape , scenery , view , outdoor , Arquitetura , Arquitectura , Architektur , Architecture

Some local news is curated - Original might have been posted at a different date/ time! Click the source link for details.

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.